Open Talk do Plano Lisboa “Critical Cities” comissariada pelo docente da ESAD.CR Mário Caeiro e participação dos docentes da ESAD.CR Luísa Arroz, Nelson Guerreiro e Teresa Luzio.

Já esta quarta feira dia 12/10/10 – Local: Polo Cultural Gaivotas | Boavista, Rua das Gaivotas 8

conversa-cxxxiii convite-c2 convite-c22

 

Aula Aberta com a ilustradora Ana Luísa Frazão 

Nesta aula aberta a ilustradora Ana Luísa Frazão fará uma apresentação dos seus cadernos de campo (diários gráficos) e vários registos que foram captados em Portugal, Espanha e outros destinos ao longo das suas viagens. A ilustradora Ana Luísa Frazão é elemento associada aos Urban sketchers de Portugal.

12605328_920879167989599_6529427048681157200_o

Projeto MATRIZMALHOA

Vasco Araújo no Museu José Malhoa | Projeto MATRIZMALHOA

O Museu José Malhoa tem o prazer de convidar todos os interessados para mais um evento do Projeto MATRIZMALHOA que decorrerá no dia 18 de abril de 2016, pelas 16h00.
À Conversa com Vasco Araújo sobre a obra “Retrato”
“Retrato” um video sobre a memória, a memória de um lugar, de uma casa, de uma família. As filmagens de vários retratos (reproduções de pinturas de Eduardo Malta) que pautam as paredes de uma casa despida de pessoas como se de uma natureza morta se tratasse serve de mote para um diálogo entre personagens que falam dos seus sentimentos, jogos de poder, da relação com o outro, criando assim um ambiente de mistério e sedução.

Breve Nota Biográfica:
Vasco Araújo, nasceu em Lisboa, em 1975, cidade onde vive e trabalha. Em 1999 concluiu a licenciatura em Escultura pela FBAUL., entre 1999 e 2000 frequentou o Curso Avançado de Artes Plásticas da Maumaus em Lisboa. Desde então tem participado em diversas exposições individuais e colectivas tanto nacional como internacionalmente, intregando ainda programas de residências, como Récollets (2005), Paris; Core Program (2003/04), Houston. Em 2003 recebeu o Prémio EDP Novos Artistas.
Das exposições individuais destacam-se : “Under the Influence of Psyche”, The Power Plant, Toronto (2014); “Debret”, Pinacoteca do Estado de S. Paulo, S. Paulo (2013); “Avec les voix de l’autre”, Musée d’art de Joliette, Joliette (2011); « Mais que a vida », Fundação C. Gulbenkian/ CAM, Lisboa e MARCO, Vigo (2010) ; “Eco” Jeu de Paume, Paris (2008); “Vasco Araújo: Per-Versions”, the Boston Center for the Arts, Boston (2008); About being Different (2007), BALTIC Centre for Contemporary Art, U.K.; Pathos (2006), Domus Artium 2002, Salamanca; Dilemma (2005), S.M.A.K., Gent; L’inceste (2005), Museu do Azulejo Lisboa; The Girl of the Golden West (2005), The Suburban, Chicago; Dilema (2004), Museu de Serralves, Porto; Sabine/Brunilde (2003), SNBA, Lisboa.Nas exposições colectivas destaque para a participação na “All that Falls”, Palais de Tokyo, Paris (2014); “Investigations of a Dog”, Fondazione Sandretto Re Rebaudengo, Turim (2009); “Everything has a name, or the potential to be named”, Gasworks, Londres (2009); “Em Vivo Contacto”, 28º Bienal de S. Paulo, São Paulo (2008); “Artes Mundi, Wales Internacional Visual Art Exhibition and Prize”, National Museum Cardiff, Cardiff (2008); “Kara Walker and Vasco Araújo: Reconstruction”, Museum of Fine Arts, Houston, (2007); “Drei Farben – Blau”, XIII Rohkunstbau, Grobleuthen (2006); “Experience of Art”; La Biennale di Venezia. 51th International Exhibition of Art, Veneza; “Dialectics of Hope”, 1st Moscow Biennale of Contemporary Art, Moscovo, (ambas em 2005); Solo (For Two Voices), CCS, Bard College (2002), Nova Iorque; “The World Maybe Fantastic” Biennale of Sydney (2002), Sydney; Trans Sexual Express, Barcelona 2001, a classic for the Third millennium (2001), Centre d’Art Santa Mònica, Barcelona. 
O seu trabalho está publicado em vários livros e catálogos e representado em várias colecções, públicas e privadas, como Centre Pompidou, Musée d’Art Modern (França); Museu Colecção Berardo, Arte Moderna e Contamporânea, (Portugal); Fundação Calouste Gulbenkian (Portugal); Fundación Centro Ordóñez-Falcón de Fotografía – COFF (Espanha); Museo Nacional Reina Sofia, Centro de Arte (Espanha); Fundação de Serralves (Portugal); Museum of Fine Arts Houston (EUA), Pinacoteca do Estado de S. Paulo (Brasil).

12993589_972201452857370_6189424241171521665_n

Seminário Permanente na ESAD.CR

Amanhã apresentação de Trabalho/Conversa com Realizador – “Independência- O Cinema Faz Tu mesmo” com Eduardo Morais, Helena Fagundes e João Pombeiro.

Auditório EP1

17h00

ESAD.CR 2016

amanhã

Seminário Permanente na ESAD.CR

Seminário permanente de investigação spbre criação e pensamento contemporâneo:

Laboratório D’Estórias com Rute Rosa e Sérgio Vieira.

ESAD.CR 2016

 

Conferências PAR

As Conferências PAR são um evento de divulgação/discussão científica, que nesta edição acolheu também a investigação de alunos de mestrados da ESAD.CR.

ESAD.CR: 2016

Semana Internacional/International Week

No dia 2 de Maio tem lugar, na ESAD.CR, o início da Semana Internacional. O evento prolonga-se até dia 6 de  Maio.

A Semana Internacional/International Week do IPLeiria – ESAD.CR – apresenta diversos workshop’s, exposições, conversas e convívios.

6ª Edição do EVA – Festival de Vídeo e Artes Digitais – 2016

É nos dias 1 e 2 de junho que irá decorrer a 6ªEdição do Festival EVA, na Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha.

O Festival EVA tem como objetivo ser um espaço de experimentação e de contacto com a área dos Vídeos e das Artes Digitais. A ESAD.CR apresenta essas vertentes em vários cursos que oferece, mas este Festival incide mais na área do Design Gráfico e do Design Multimédia, pois estes têm desenvolvido um trabalho muito sólido nesta área. Observa-se então trabalhos de Video-Mapping, Video Art, Motion Graphics, Instalações Multimédia e Performances.

O ponto mais forte e chamativo nas edições do Festival EVA é o Video-Mapping, pois está a tornar-se numa modalidade cada vez mais conhecida. O Video-Mapping é uma técnica de projeção usada para transformar qualquer superfície, até a mais irregular, numa tela de vídeo dinâmica. Pode ser em fachadas de edifícios ou em qualquer distorção, onde se criam várias perspetivas apenas com os movimentos das imagens.

Outro grande ponto interessante no EVA, é o facto de dar aos alunos da escola, a oportunidade de mostrar os seus trabalhos em diversas exposições que estarão expostas durante todo o Festival. É uma forma de se promoverem, espalhando a sua criatividade quer a nível escolar e profissional, uma vez que nomes de profissionais com relevância nesta área estaram presentes no Festival EVA.

O EVA teve a sua primeira edição no ano de 2011 e a beleza das artes digitais encantou a comunidade. O Festival tem vindo a evoluir bastante, nos primeiros quatro anos o evento durava somente um dia, mas no ano de 2015 os organizadores (finalistas dos cursos de Design Gráfico e Design Multimédia e docentes da ESAD.CR) sentiram a necessidade de mostrar os seus projectos e alargar para dois dias de evento.

Nestas últimas edições têm surgido diversos convidados, com marcos e características importantes na área que aborda o Festival EVA e a comunidade da ESAD.CR.

Como a contagem decrescente já começou, os interessados a mostrar os seus trabalhos têm até ao dia 25 de maio para os enviar. Podem fazê-lo pelo email evavideofestival@gmail.com. Alguma dúvida e pode enviar mensagem privada para a página do Facebook ou para o email referido.

O Eva espera por ti, não percas esta oportunidade!

Aventura-te nesta nesta viagem cósmica!

Para mais informações acompanhem o desenvolvimento do Festival através das seguintes redes sociais:
http://evafestival.tumblr.com/
https://www.instagram.com/festival_eva/

 

 

unnamed

Seminário Permanente na ESAD.CR

Amanhã Seminário Permanente na ESAD.CR

Conferência . PARA CRIADORES QUE LÊEM MUNDO. EDIÇÃO, LEITURA E COMUNICAÇÃO

Mafalda Milhões

Auditório Ep1

17h00

amanhãaa

Seminário Permanente na ESAD.CR

Seminário Permanente na ESAD.CR

Conferência Sound Design para Cinema Usando Sistemas de Partículas

Nuno Fonseca – João Henrique

Auditório Ep1

17hoo

19 de abril

13062025_974464925964356_4451464638712933599_n

Seminário Permanente na ESAD.CR

HOJE: Seminário Permanente na ESAD.CR.

Apresentação de trabalho/Conversa com designers . URBANGROW – SISTEMAS VIVOS- João Henrique.

Auditório Ep1 – 17h00

13015157_972052269538955_5301603867248843941_n

Apresentação Doclisboa/Verdes Anos, com a presença de Francisco Ferreira, ex-aluno da ESAD

Foi no dia 8 de abril, no Auditório EP1 da ESAD.CR que se deu a apresentação da produção e realização cinematográfica em contexto académico e a ponte para um contexto profissional.

O Doclisboa – Festival Internacional de Cinema organiza, com a disciplina de Projecto Final de Som e Imagem, um encontro com os alunos daESAD.CR, criando um espaço informal onde serão partilhadas experiências, conhecimentos e interrogações em torno da produção e realização cinematográfica em contexto académico e a ponte para um contexto profissional. Esteve presente Francisco Ferreira, realizador de “Kazova”, que percorreu este filme cena a cena, analisando profundamente métodos e estratégias criativas e de produção.

Foi também apresentada a renovada secção Verdes Anos, sendo que os filmes selecionados para esta edição concorrem a um conjunto de bolsas de formação e desenvolvimento de projecto a atribuir em parceria com diversas entidades nacionais e internacionais.

 

file:///C:/Users/Utilizador/Downloads/Sessa%CC%83o_DocLx.pdf

 

 

Alunos da ESAD.CR participaram no Encontro Nacional de Estudantes de Design em Coimbra/ ENED 16

O ENED  é um encontro que recebe, desde a primeira edição centenas de estudantes, entusiastas e profissionais de referência das diferentes disciplinas da área do Design.

 

Surgiu em 2012, em Coimbra, tomando lugar nos anos seguintes nas cidades do Porto, Castelo Branco e Aveiro.

Com mais de 1000 participantes desde a sua primeira edição, o ENED é já um evento a não perder para muitos dos estudantes das mais de 40 instituições de ensino e mais de 50 cursos de Design em Portugal.

Mais um ano em que a ESAD.CR marca presença numa edição em Coimbra.

6ª Edição do Festival Ofélia

Foi entre os dias 5 e 8 de abril que decorreu mais uma edição do Festival Ofélia na Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha.

Este ano o Festival contou com a presença da Real Escuela Superior de Arte Dramático de Madrid, da Escola Profissional de Teatro de Cascais, da Escola Superior de Música Artes de Espetáculo, da Escola Superior de Educação de Coimbra, da Universidade de Évora, da Escola Superior d’Art Dramàtic de les Illes Balears e da Universidade de Trás-Os-Montes e Alto Douro. Todas  as escolas presenciaram a Escola Superior de Artes e Design com encenações realizadas pelos estudantes das mesmas.

Para além da vertente de Teatro, também se realizaram Conferências e diferentes Workshops.

A 6ªEdição do Ofélia começou com a Conferência “Antigos Alunos” onde se contou com a presença de Mariana Sá Marques; Isabelle Coelho; Roger Madureira; Cláudio Teixeira e Raimundo Cosme, antigos alunos do curso de Teatro.Na segunda parte do primeiro dia, deu-se início às apresentações performativas dos alunos participantes. As peças a estrear os palcos do Ofélia foram “Desta para Outra”; “Hanger” e “Auto da Barca do Inferno”.

No segundo dia, aconteceu a Conferência “Manobras do Sublime” com a participação de Pedro Penim e José Maria Vieira Mendes do Teatro Praga. Da parte da tarde, Eugénio Roque, durante quatro horas, deliciou os 26 participantes no seu workshop “Esgrima em Cena.” As peças do dia 6 de abril intitularam-se de “As Criadas + Transtorno”; “Agámemnon- vim do supermercado e dei porrada ao meu filho”; “Reflexão sobre Édipo” e “Contra a Parede 5X por semana”.

No penúltimo dia, sem Conferências e Workshop’s o dia ofeliano começou às 19.30h com a peça “Futuro” e de seguida “Café” e “Ejucución”. A noite acabou no Centro Cultural de Congressos com a encenação “Troianes”.

O Ofélia recebeu no último dia Catarina Câmara que trouxe o workshop “Improvisação no trabalho do ator: da imaginação à pele”. Nas últimas horas do Festival foram apresentadas as encenações “Promessa de Amor”; “De Volta à Ilha dos Sonhos”; “Sentindo-se Pessoa” e “Otarata”.

Foram dias cheios de emoção, por parte da equipa da organização, mas também por parte dos participantes. As salas, em todas as peças, esgotaram a sua lotação de lugares. O público aderiu por inteiro e a felicidade de todos não podia ser mais notória. Ao fim dos quatro dias de festival, mais de 1500 pessoas tinham conhecimento do Festival Ofélia.

O legado da organização deste ano já foi transmitido para os novos alunos que vão ter nas mãos a 7ªEdição do Festival Ofélia. Ao longo dos anos o Ofélia tem ganho mais relevância e os dias e as horas para a próxima edição já se contam.